Álvaro Damião

Coluna do Álvaro Damião

Veja todas as colunas

Abre o olho, Atlético

29/10/2019 às 10:54
Abre o olho, Atlético

Amanhã é dia de Atlético. É dia do Galo entrar em campo para mudar esse aperto desnecessário que vem passando. É hora de parar e organizar a casa. E por falar em organização, isso foi tudo que faltou para a partida contra o São Paulo, no último domingo (27). 

O que vimos em campo foi um time completamente desorganizado, principalmente na defesa, e um ataque sonolento e pouco criativo. Por isso, não dá para não dizer que a derrota por 2 a 0 diante dos paulistas foi justa. Precisamos falar para que algo mude! 

Amanhã, diante da Chapecoense, o Galo precisa mostrar a sua força. A torcida precisa apoiar o tempo todo para que tenhamos um ambiente favorável para uma vitória. Nenhum adversário deve ser subestimado, nem mesmo a Chape que ocupa a penúltima posição da zona de rebaixamento. 

E por falar em zona, é bom o Atlético abrir o olho. Não se trata de fazer terrorismo, mas é bom lembrar que apenas seis pontos separam a Raposa do Galo. Time para sair desta situação o Atlético tem, basta colocar a cabeça no lugar, esquecer a pressão, entrar em campo com raça e com técnica. Não há fórmula mágica para vencer, mas seguindo alguns passos é possível minimizar as dificuldades. 

A mentalidade atleticana precisa mudar. Não dá para simplesmente assistir o adversário jogar e ficar esperando por um erro para fazer o gol. Até quando o Atlético vai ser esse time generoso que deixa o adversário fazer o que quer? O time precisa atacar, oferecer perigo, ter criatividade. A bola pune! É o famoso ditado “quem não faz, leva”. 

Ainda dá tempo! Amanhã é o dia de vencer. Quanto à torcida, entendo que o nervosismo e a falta de paciência, mas é preciso apoiar, cantar o jogo todo. É um direito do torcedor vaia ou protestar, entendo perfeitamente, mas durante o jogo é preciso apoiar. Quando se vaia um jogador ou o time durante a partida, é como se estivesse invertendo o mando de campo. Você fortalece o adversário e isso não ajuda nada. 

“Vamo, Galo”! 

Tamo junto e até a próxima! 

Foto: Bruno Cantini / Atletico

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link