Notícias

Sem novas manchas de óleo, Parque Nacional Marinho de Abrolhos é reaberto para visitação

Por Agência Estado , 08/11/2019 às 15:43
atualizado em: 08/11/2019 às 15:51

Texto:

Foto: Rio Doce/Divulgação/TV Brasil
Rio Doce/Divulgação/TV Brasil

O Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, no sul da Bahia, foi reaberto nesta sexta-feira depois de não ter sido encontrado mais óleo na área de preservação ecológica. A previsão inicial era que a suspensão da visitação seguisse até a próxima quinta-feira (14). O parque foi fechado no dia 3.

A informação sobre a reabertura da unidade de preservação foi divulgada nesta pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), do Ministério do Meio Ambiente.

O chefe do parque, Fernando Repinaldo Filho, afirmou, em comunicado, não ter sido encontrado fragmento de óleo em Abrolhos e que os vestígios do material identificados no dia 2 "não produziram impacto negativo direto" na fauna e na flora da área.

As primeiras manchas de óleo no Nordeste do País foram identificadas em setembro. O número de localidades atingidas chegou a 409, segundo balanço divulgado nessa quinta-feira (7), pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Na última terça (5), o ICMBio informou que a visitação seria estendida até o dia 14 de novembro por causa de fenômeno chamado de maré de sizígia, "que provoca uma amplitude na variação do nível do mar e mais força na circulação de correntes marinhas". Isso, segundo o instituto, poderia contribuir para o aparecimento de mais manchas.

O ICMBio, no comunicado sobre ampliação do tempo de fechamento, informou que o parque passa todos os dias por monitoramento, que envolve navios da Marinha, drone, mergulhadores autônomos, embarcações de pescadores voluntários, pesquisadores e organizações não governamentais (ONGs).


 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link